Razão ...

RAZÃO ...


O conhecimento que recebemos, na maioria das vezes, não tem muita relação com a nossa história, no máximo tem relação com a nossa formação profissional.

Aprendemos a acumular conhecimentos, aplicar fórmulas, analisar teorias, repetir regras ...
Todos esses eventos têm relação direta com a nossa história pessoal, nossos sonhos, expectativas, projetos, relações sociais, frustrações, prazeres, inseguranças, dores emocionais e até crises existenciais.
Adquirir essas experiências e vivê-las a tal ponto de segurar as lágrimas para que não derramem, estar preso a pensamentos nunca revelados, ter temores não expressos, palavras não ditas, inseguranças comunicadas e reações psicológicas não decifradas, são àquelas em que aprendemos na escola da existência. É nessa escola que deixamos raízes, saudades e memórias infindáveis.
É vivendo com cada experiência, que aprendemos a lidar com ela.
Por todos esses motivos, a razão desse espaço é dividir aprendizagem, oportunizar leituras, e claro, me exercitar na escrita e na comunicação.

Seja muito bem vindo!


domingo, 11 de setembro de 2011

Rapport e seus [e]feitos

Aprendi rapport em um treinamento da Sher oferecido pela TAM para a TAM Viagens, na recente temporada em SP. Não me lembro de ter ouvido essa expressão, mas já tinham me dito algo parecido só que com outras palavras. Acho e percebo que algumas pessoas que convivem ou conviveram comigo, acabam por adotar meus tiques, maneirismos e atitudes, além de compreender meus times humorísticos dos quais nem preciso de platéia: eu mesma conto, eu mesma rio eu mesma bato palma.

"Rapport é a capacidade de entrar no mundo de alguém, fazê-lo sentir que você o entende e que vocês têm um forte laço em comum. É a capacidade de ir totalmente do seu mapa do mundo para o mapa do mundo dele. É a essência da comunicação bem-sucedida."
Anthony Robbins


Em virtude disso, admito que as pessoas tem mais facilidade em fazer rapport em mim que eu nelas e que com pouco tempo de convivência tá eu falando i-gual-zi-nho a pessoa. Uma amiga ontem a noite me disse: [...] Nínive você é muito sensível e instrospectiva em muitos aspectos, mas nem sempre você expõe esse traço da sua personalidade. Acho que nem você reconhece isso. Tudo o que as pessoas te falam, te causam um profundo impacto. Você guarda e absorve muita coisa e nem sempre descarta com facilidade aquilo que realmente não serve para você [...] e sabe quem anda pagando por isso? Sua saúde.

Imitar & Espelhar foram determinados como os principais fatores para se criar estados poderosos de rapport. Igualando os movimentos da outra pessoa, a postura, os atributos vocais, as frases chaves e até mesmo a sua respiração. Também é muito poderoso poder igualar os seus sistemas de representação. Esta é uma habilidade avançada que é ensinada nas série de seminários Act Now Success Skills (nos EUA).

Como de fato reflito muito no dia seguinte sobre meu dia anterior, fiz um recordar é viver do meu ano e das pessoas que me cercam. Tenho certeza (absoluta) que já adquiri um pouco de cada um e assim portanto, emprego um pouco de mim fazendo uma extensão do meu papel em sociedade. Veja bem: do meu papel em sociedade e não na sociedade, porque não podemos ficar nos comportando da maneira com que as pessoas irão nos aceitar ou não irão falar de nós, pois assim estaremos jogando nossa personalidade e educação no lixo. Claro, não estou levantando bandeira para as bizarrices e discrepâncias, mas até isso pode soar um pre-conceito: o que é destrambelhamento para um, é normal para outro.

A moda sempre foi: vão falar! Mal ou bem, gostando ou não. Somos seres humanos dotados da capacidade de ir e vir e esse livre arbítrio tem um preço - uns vão te amar, outros, te detestar. Outro dia li algo assim: quando forem falar mal de mim me chamem, sei péssimas coisas a meu respeito. Achei graça. É fato. Só nós sabemos da dor e da delícia de sermos quem somos, quem podemos ser, por nós mesmos. Será que alguém pode dar licença para ser você mesmo?

Obrigada.

Bob Marley escreveu um dia com sua lucidez impressionante:

Preocupe-se mais com a sua consciência quem com a sua reputação
Porque a sua consciência é o que você é
E a sua reputação é o que pensam sobre você
E o que pensam sobre você
É problema delas.

Acho essa frase um máximo e ando bradando-a na menor oportunidade. Sabe por que? Porque senão todo mundo vai querer nos convencer disso ou daquilo e vamos acabar por passar a vida pedindo desculpas e achando que só o outro tem razão. Não tem não! Sim, goste de outras pessoas, se permita. E não guarde esse amor só para você. Mas antes de qualquer coisa, ame a sim mesmo. "Ninguém pode fazer mal a alguém. A menos que se permita". Verdade Gi. Verdade.

Conclusão
O Rapport é um tópico fascinante e pode conduzi-lo(a) numa viagem de descoberta na direção de entender as pessoas ao seu redor.
O melhor modo para aprender é a experiência.
Pratique a Imitação e o espelhamento e lembre-se de PRESTAR ATENÇÃO.


Em vídeo, o rapport é exatamente isso aqui ó:



video




Nínive aprende com as pessoas. Todos os dias. E agradece a oportunidade.

11 comentários:

  1. Ei linda passando para deixar um beijo e desejar uma otima semana...

    ResponderExcluir
  2. Oi sumida!! Saudades de vc lá no blog!
    Ótimo texto, como sempre!
    BJs!

    ResponderExcluir
  3. Olá Nínive

    Li um comentário seu no blog da Vanusa e vim conhecer seu espaço. Gostei e estou te seguindo. Venha me visitar e se gostar, ficarei feliz se me seguir.

    Bjooooooooo..................
    http://amigadamoda.blogspot.com

    ResponderExcluir
  4. Ola Nínive,
    Passei pra conhecer e agradecer a visita, adorei o texto, vou voltar sempre agora para ler, só tem texto bom. Muito bom saber o que é rapport. Bjo!

    http://domitillafashion.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  5. Oi Nínive,
    Conhecia o rapport por outro nome, seia empatia!
    Eu sou uma pessoa empática e absorvo muito dos sentimentos das pessoas a minha volta.
    Beijos 1000 e um ótimo final de semana para vc.

    www.gosto-disto.com

    ResponderExcluir
  6. Adorei seu cantinho.
    não conhecia o rapport.
    bjss

    ResponderExcluir
  7. Olá, muito legal seu blog!
    Seguindo, segue de volta e deixa seu comentário?
    Bjs

    http://odiariodaborboleta.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  8. Oi Nínive!
    Saudades daqui e de você, antes eu não estava conseguindo comentar =(
    Muito legal o rapport, nunca tinha ouvido falar, quando venho aqui aprendo muuuito =D
    Amiga obrigada pelo carinho, e sua visita lá no blog.
    Estou empenhada no trabalho e quase não consigo fazer as visitas, logo terei mais tempo e estarei mais aqui =D
    Uma linda semana pra você!
    Beijos!

    ResponderExcluir
  9. Excelente!!!! Prestar atenção no próximo para se entender e se conhecer melhor!!! Ando numa fase assim, me preocupando além do necessário com o que os outros acham de mim. Adorei a frase do Bob Marley!!

    ResponderExcluir
  10. Oiii flor! Adorei o texto, não conhecia... nunca ouvi falar... mas ja praticava sem saber,rsrs.
    Gostei muito!!!
    Beijão e fique com Deus!
    Li

    www.luxuriacosmeticos.com

    ResponderExcluir
  11. Eu empatei com a empatia, igual a Betty Gaeta disse.
    Tem diferença, rapport X empatia?

    LC

    ResponderExcluir

Agradeço de coração a você que me lê e que expressa em palavras sua demonstração de afeto e carinho. É um prazer receber a sua visita. Muah!