Razão ...

RAZÃO ...


O conhecimento que recebemos, na maioria das vezes, não tem muita relação com a nossa história, no máximo tem relação com a nossa formação profissional.

Aprendemos a acumular conhecimentos, aplicar fórmulas, analisar teorias, repetir regras ...
Todos esses eventos têm relação direta com a nossa história pessoal, nossos sonhos, expectativas, projetos, relações sociais, frustrações, prazeres, inseguranças, dores emocionais e até crises existenciais.
Adquirir essas experiências e vivê-las a tal ponto de segurar as lágrimas para que não derramem, estar preso a pensamentos nunca revelados, ter temores não expressos, palavras não ditas, inseguranças comunicadas e reações psicológicas não decifradas, são àquelas em que aprendemos na escola da existência. É nessa escola que deixamos raízes, saudades e memórias infindáveis.
É vivendo com cada experiência, que aprendemos a lidar com ela.
Por todos esses motivos, a razão desse espaço é dividir aprendizagem, oportunizar leituras, e claro, me exercitar na escrita e na comunicação.

Seja muito bem vindo!


quarta-feira, 31 de março de 2010

Torpedo

Os últimos dias do mês e os primeiros do mês seguinte são de muitíssimo trabalho – para mim - no escritório. É quando confiro toda a agenda de audiência dia-a-dia e vou montando as planilhas de despesas para serem cobradas, cada uma em seu tipo de despesa-geradora. Depois aguardo serem pré-aprovadas para emissão da nota fiscal. Feito isso, separo toda a documentação de cada processo gerador da despesa e anexo separadamente por autor e por CNPJ e a envio via Correios.
É um trabalho cheio de detalhes onde erros significarão que o Credenciador devolverá o malote por causa de 1(um) erro. E malote de pagamento devolvido é igual a chefe bufando porque não receberá seus numerários dentro daquele mês.

Além disso, ainda faço muuuitas outras coisas durante as outras semanas o que, ultimamente, têm me feito ficar até depois do horário seguidamente.
Estou reclamando não. O trabalho dignifica o homem.
Chego em casa me sentindo útil, cheia de responsabilidades, afazeres e ainda me imprimi a sensação de ‘tenho trabalho’ e não ‘tenho um emprego’.

Acontece também que, parte do meu trabalho é acompanhar o andamento e/ou o encerramento de processos, no que tange à parte financeira, o que me obriga a ir ao Banco-credenciador e ao Tribunal de Contas semanalmente. Dessa forma, as minhas saídas são costumeiramente demoradas, já que eu moro em uma Capital e cidade grande adoooora filas.

Essa semana, precisei ir a um banco muito perto do escritório que, de tão perto eu meio que me perdi e antes que pudesse chamar um táxi, ajudei uma senhora a atravessar a rua correndo – eu garrada no braço dela falando: vamu que dá. Assim que cheguei do outro lado da rua, vi a placa do banco à minha extrema direita e me peguei ainda agarrada no braço dela. Coitada cheguei a ver o vergão que deixei. Em tempo d’eu parar a circulação dela, Santo Deus....

Cheguei no banco, retirei a senha, depois de tocar de roda duas vezes em frente à maquininha e não ver, olhei para o luminoso e constatei que tinham 18 pessoas na minha frente. Sentei. Levantei. Tomei dois copos d’água. Sentei de novo, comecei a mexer no meu celular e escrevi um torpedo para a Sheila: [...] a fila está enoooorme aqui, vamos conversar?

Hoje, precisei de novo sair. Outro banco. Na volta, já no escritório, peguei a resposta dela, de hoje, que serviu para ontem também.
"AMIGA CHEGA LOGO
RUIM AQUI SEM VC
SNIFF"

Recebida a las 16:07:48 31/03/2003


Arrumei uma nova amiga, num arrumei?

terça-feira, 30 de março de 2010

Grilo

Certa vez, em Uberaba, ao chegar em casa percebi a presença de um grilo na porta do meu quarto e quando eu ia tomar banho, o via no box.
Dias seguidos e essa cena - verídica - se repetia.
Então um dia, eu decidi que ele seria macho, chamei-o de Grilo e passei a falar com ele todo dia.
Afinal, éramos Grilo e eu.

Eu o cumprimentava, perguntava como ele estava, dava uma pausa - como se aguardasse a sua resposta - e então falava como eu estava e como tinha sido o meu dia.
Hoje, não consigo me lembrar se durou semanas ou meses. Mas me lembro perfeitamente do ritual de vê-lo assim que eu chegava em casa e depois no banho.
Debaixo do chuveiro eu falava com ele, gesticulava, de vez eu quando eu danava com ele também e sempre o chamava de Grilo. No começo ou no final do conversê.

Aí um dia, contei para Ana Paula do Grilo. Ela chegou a encher os olhos d'água de taanto rir, por me ouvir contar das prosas que eu batia com ele. E deve ter me achado um caso perdido.

Então um belo dia, lá estava eu debaixo do chuveiro, ensaboando os cabelos e falando com Grilo.
De vez em quando eu abria os olhos e via se ele estava no mesmo lugar no blindex. E a cada olhadela, via que ele, ora estava para um lado, ora para outro.
Acabei o meu banho, escorri os cabelos e fui abrir a porta do blindex.
Crashhhhhhhhhhhhhhh.
Adivinha? Matei o grilo.
M-a-t-e-i o Grilo e eu ainda estava falando com ele.

Muda.
Vendo as asinhas dele no chão e ele ainda agarrado no vidro.
Longos minutos.
Olhando para o vidro e para o chão.
Incrédula.
Troquei de roupa e fui chateada para a faculdade.

Contei para todo mundo que eu tinha matado o único ser vivo que tinha me ouvido falar nos últimos minutos.
Acho - cá com meus botões - que minhas colegas de sala até pararam de falar comigo nesse dia, quando soltei a frase "matado o único ser vivo que tinha me ouvido falar nos últimos minutos".

Grilo nunca cantou para mim. Hoje, pesquisando descobri o porquê:
Somente os grilos machos produzem sons [...]. Para tanto, os machos possuem uma série de pelos nas bordas de suas asas, alinhados como pentes, e produzem os sons roçando uma asa contra a outra [...].

Mas descobri também que os grilos: necessitam de atenção diária, sua principal alimentação é de folhas e que o canto do grilo (principalmente em desenhos animados) depois de uma piada ou de uma sugestão também pode ser símbolo de que foi uma piada seca ou de que houve silencio, ou seja, a sugestão foi ignorada.

O-U S-E-J-A, eu aqui morrendo de saudade do grilo e ele não era nada daquilo que um dia eu quis para mim como referência de inseto de estimação.
O bicho nunca cantou para mim?
C-a-l-a-r-o que não: ele era fêmea!!!!!!!
E o seu silêncio?
Resposta: elA não estava nem aí para a Hora do Brasil.

[Será que no fundo foi por isso que eu exterminei o pobre coitado?]

Ah, não posso crer!!!!

Ah, o grilo era daquele marrom. Um possível grilo japonês (Teleogryllus emma)

Fonte: GRILO. Disponível em: http://pt.wikipedia.org/wiki/Grilo. Acesso em 30 de março 2010.

segunda-feira, 29 de março de 2010

Puculando ...

Menininha

Olá!

Domingo ma-ra-vilho-so.
Segunda-feira corrida.
À noite, fui ver um lugar para morar.
Procurar, procurar ... porque morar em um barril NÃO é uma das minhas opções. Rs.

***********************************PIADEX*************************************

Desesperado, o chefe olha para o relógio, e já não acreditando que um funcionário chegaria a tempo de fornecer uma informação importantíssima para uma reunião que estava começando, liga para o dito cujo:

- Alô! – atende uma voz de criança, quase sussurrando.
- Alô. Seu papai está?
- Tá… – ainda sussurrando.
- Posso falar com ele?
- Não! – disse a criança bem baixinho.

Meio sem graça, o chefe tenta falar com algum outro adulto:

– E a sua mamãe? Está aí?
- Tá.
- Ela pode falar comigo?
- Não. Ela tá ocupada.
- Tem mais alguém aí?
– Tem – sussurra.
– Quem?
- O puliça.

Um pouco surpreso, o chefe continua:
- O que ele está fazendo aí?
- Ele tá conversando com o papai, com a mamãe e com o bombelo..

Ouvindo um grande barulho do outro lado da linha, o chefe pergunta assustado:

- Que barulho é esse?
- É o licópito.
- Um helicóptero!?
- É. Ele tlôce uma equipe de busca.
– Minha nossa! O que está acontecendo aí ? – o chefe pergunta, já desesperado.

E a voz sussurra com um risinho safado:

- Eles tão me puculando.

sábado, 27 de março de 2010

Resposta à Cida:

cida souza disse...
OLA NINIVE linda!hoje li o post rindo e chorando,sua mãe é muito linda,assim como você,Ninive você esta certa quando diz que os filhos não estão preparados para perder os pais,sinto muita saudades da minha mãe,ela faleceu a alguns meses aos 58 anos,sempre morei com ela, sempre fomos muito grudadas,nunca vou superar esta perda,a perdi para o câncer,é muita dor.Desejo a sua mãe linda muita saúde,que Deus a abençoe sempre bjsss
24/03/2010 22:34:00


RESPOSTA:
Que tal se ao invés de tentar lutar contra essa dor, você procure acomodá-la dentro de você? Talvez assim, ela doa menos sem te sufocar, sem te fazer tão sozinha e infeliz. Tente mudar o tom dessa dor. Tente deixar uma saudade gostosa; daquelas que a gente chora-e-ri? Pois é, essa mesma.
Chore de saudade, mas não somente da perda, da ausência e da falta. Chore por isso sim. Mas chore também pelo sorriso, pelas conversas, pelas broncas, pelas lembranças, pelos dias de uma emburrada com a outra.
Ou melhor.
Se possível, não chore. Sorria.
Sorria para você. Por você. Por ela. Faça algo de que ela gostava. Por ela. Por você. Mas faça principalmente por você.
Sabe por que? A vida da sua mãe - infelizmente - foi abreviada. Mas a sua não e você precisa viver a sua vida com tudo de bom que tiver direito: com mais leveza, com mais sorrisos, com mais humor.
Você escreveu: "a perdi para o câncer". Achei cruel a sua manifestação, mas ponderei que é assim que você ainda se sente: injustiçada, se perguntando por que essa doença? Por que na minha família? POR QUE A MINHA MÃE?
Procure não pensar assim. Não remoa essa dor. A ferida, querida Cida, precisa cicatrizar. PRECISA.
Vivemos em um mundo iníquo, desleal e desonesto, onde "o imprevisto sobrevêm a tudo e a todos" e, por mais que a gente saiba que a tristeza e a dor são sensações peculiares à humanidade imperfeita, jamais conseguiremos lidar com elas sem sermos afetadas.
Que dirá à morte?!.
Isso acontece, porque Deus criou em nosso coração o desejo da eternidade. É bíblico. Quem em sã consicência diz: quando eu tiver 80 anos, eu quero morrer. Pergunta para um de oitenta aí, se ele quer marcar o dia da morte dele?
Muito improvável que você tenha essa resposta. Muito mesmo.
Por isso, querida Cida, deixo aqui o meu abraço, minhas palavras de compaixão e minha amizade.
Fique bem. Tente!
Eu vou estar aqui.
Todos os dias.
Escrevendo e esperando você me ler. Me ler e me escrever.
Eu conto os meus causos e alguém precisa rir. Conto com você.

Muah!

quarta-feira, 24 de março de 2010

Meio século + 1





Hoje é aniversário da Mamy e ontem fiquei procurando na internet alguma coisa para mandar prá ela. Olhava o saldo na conta e o que tinha na internet.
:(
Infelizmente esse ano não deu para mandar nada na data. Mas assim que as coisas derem um up eu vou comprar uma coisa beeeem bonita e postar.

Aí, saindo do escritório liguei para ela.
Mas liguei já imaginando que não conseguiria falar na primeira tentativa, porque ela coloca o celular dentro de uma bolsinha pequena, coloca a bolsinha dentro de um compartimento com zíper na bolsa e guarda a bolsa dentro do guarda-roupa, no fundo, atrás das roupas.
O celular chega a ficar vermelho de taaaanto tocar.
Essa semana mesmo eu tive que ligar em casa e tentar falar aqueles 3 segundos que a gente não paga? Pois é, calculei mal as palavras e falei 5 segundos. Assim que desliguei, meu celular avisou: seu novo saldo é de...

Mas hoje, acho que quase no último toque a minha irmã atende.
- Pelo amor de Dadá, Deus seja louvado, achei que não conseguiria falar.Rs
- Nossa, acabamos de chegar, vim correndo atender.

Tadinha, a bichinha estava até arfando.

Então ela me contou que estavam chegando da acunpuntura. Olha que chiqueza?
Tão cuzovido chei de agulha. Gente, esses meu parenti minêro é pra frenti mais da conta.

Mas falando sério, Nanda me falou que essas agulhas tiram a ansiedade, corta a ganância por doce, equilibra o peso, ajusta o humor. Não é o máximo?

Já fui na minha caixa de costura e peguei todas as que tinham disponíveis lá e para garantir o efeito coloquei até no couro cabeludo. Dormir sentada é o que há.

Pedi para passar o telefone para a mamãe.
- Oi mamãe, PARABÉNS, quantos anos?
- Oi, obrigada, filha. Eu sou de 59, faz as contas.
- Ó, meio século mais um.
- Quando eu era mais nova, ficava pensando se eu chegaria aos cinquenta, agora já fiz 51, é engraçado pensar assim né?
- É. Eu também me lembro de pensar como eu seria quando completasse 15 anos e aos 15, me lembro de pensar de como eu seria aos 25 anos, agora com quase 30 eu parei de pensar ...
- Kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk. É nessa altura do campeonato, é o melhor que eu tenho a fazer.
- Rs.


Tututututututututu.

Esse negócio de TIM a 0,25 centavos é uó.
Sábado coloquei R$ 16,00 de crédito. Fiz uma ligação para TIM. Essa semana liguei para a mamãe e a TIM derrubou tanto as ligações que meu saldo foi para 4,98 no final de toda a conversa.
Comecei a conversa com esse saldo hoje e tututututu, acabou os créditos todos.
Liguei para *222, peguei o crédito especial de R$ 3,00 e acabei de falar com a mamãe, rapidinho. Tão rapidinho que assim que desliguei:
- Seu novo saldo é de 0,09.

Guento não hein?

Bom então vou acabar de falar aqui, TIM sem graça.

Mãe, cuida da sua saúde, porque filhos não nasceram preparados para perder os pais. Mesmo estando muuuuuito longe eu não saberia o que fazer da minha vida senão pudesse te ligar para perguntar, ouvir broncas e te ouvir gargalhar, achando graça dos meus [insanos]comentários.
Por aqui está tudo bem.
Bom, nem tanto.
Daque-le jeito que nos falamos na segunda, mas tudo vai ficar melhor, um dia sempre tem sido melhor que o outro. É como eu digo: um dia de cada vez, todo dia e sempre.
Eu estou com saúde, tenho um bom emprego e me formei. Então, estou feliz.
[Ih!!! Comecei a chorar]

Assim que eu ajeitar meu canto, eu aviso à senhora para vir. Espero que já tenha feito tooodos os seus embelezamentos aí, assim não terá como protelar a sua volta para cá.
O concurso Miss ES é mês que vem, posso fazer a sua inscrição?

Beijus, eu te amo e estou com muitas, muitas saudades.


Muah!

terça-feira, 23 de março de 2010

Vou morar em um BARRIL.

Chaves

Indeisdi o final de semana que 'invernei' nos jornais, em sites de imobiliárias e tudo quantuá.
Mas.. Deus é mais, como aluguel tá caro.
Antes que eu caia desmaiada, vim postar minha indignação: que rouboooo!!! Kitinet por 600,00???? Aí vou ver as fotos, o lugar é um muquifo, de taco, construção antiga, sem garagem (Tenho carro não. Por que? Não posso querer garagem? rs).

Aí, ontem né, achei uma... namorei, namorei. Levantei hoje mais cedo, peguei a chave para ir na hora do almoço lá conhecer. Antes do almoço a moça da imobiliária me liga:
- Ni--ve?
- nive.
- Você tinha que ter devolvido a chave em duas horas.
- É? Ó. Sabia não.
- Então, é o seguinte, a dona do apartamento está aqui e quer desalugar.
- Rssss. É? Rssss. Tá?
- Pode vir devolver a chave?
- Ca-la-ro que não posso, custei a achar e agora nem quero ver mais, quero morar lá de qualquer jeito!

Essa foi a resposta que eu pensei antes de dizer:
- Ela pode vir? Não posso sair daqui nesse momento.

Desliguei o telefone e cai na risada.
- Também eu nem queria - disse à Sheila.

Então, de tardepradenoite, me vi no personagem do Chaves, em uma cena que ele é expulso da Vila de varinha e canga, cabisbaixo, cabisbaixo. Sniff..sniff..

Minutos depois, eu estava cantando:
- O sapo brigou com a rosa, debaixo ..
- Cravo, você quis dizer...

Rs.

- Sheila, mas eu estou de luto que risaiada é essa?

Sheila não se aguentava e me fez dançar a DANÇA DO ENTOPE E DESENTOPE para ela ver.

E o AP?
Ah!
Vou morar em um barril, porque eu sou jovem e ainda tenho tempo de correr atrás de muita coisa na minha vida.

[..]
Se voce é jovem ainda, jovem ainda, jovem ainda!
Amanhã velho será, velho será, velho será!
A menos que o coração, que o coração sustente, a juventude que nunca morrerá!

Não diga não, à vida que te espera,
pra festejar a alegria de viver!
Pra agradecer a luz do seu caminho,
e você vai tudo isso entender!

Se voce é jovem ainda, jovem ainda, jovem ainda!
Amanhã velho será, velho será, velho será!
A menos que o coração, que o coração sustente, a juventude que nunca morrerá!

[...]

segunda-feira, 22 de março de 2010

Meu cabelo pixaim

Então ...

Eu tenho uma coisa com beleza sabe? Nada descomunal, mas me cuido sim. E muito.
É creme para o cabelo, para as pontas, para a raiz, mousse, defrizzante, leave-in.
Para o corpo: creme, mousse, óleo, com cheiro, de bisnaga, pump, de potinho...tudo sempre com cheiro.
Amo cheiros.
Eu posso chegar tarde, de madrugada, tonta, que tomo banho, tiro a maquiagem e faço todo o ritual: creme para a áres dos olhos, creme noturno para o rosto, creme para o corpo, às vezes passo óleo por cima. Deito e fico passando creme nos pés. Quando estou acompanhada, o bofe entra na maratona e tem que passar nas minhas costas.
Como tenho a pele mista, uso produtos adequados, porque ninguém merece dormir com um frango a passarinho.

Mas se toda a nossa beleza fosse resolvida com cremes ....já era para o meu cabelo ter dado um jeito!!!!
Ó, desde que me mudei para o ES que meu cabelo não é mais o mesmo. Se em Minas eu já o ameaçava com o secador, agora entro em luta corporal (diária) com as madeixas.
E como meus braços doem.
Sério.
A maresia têm deixado-os embaçado, com sensação de sujo e tenho vontade de lavá-los todos os dias. E a minha ruivice? Pra onde vai? Ralo abaixo com tanta lavança?
Ah não dá!
E com esse clima de agora então, Santo Deus, que c-a-b-e-l-o é e-s-s-e?!

Um dia cheguei em casa e a minha colega falou:
- Estava ventando lá fora?
Umas semanas atrás meu chefe:
- Você veio de moto sem capacete?

Sério. Tá uma coisa de louco. Eu lavo a geringonça de manhã, dou uma secada na franja, depois do almoço ele já tá uó.

Um ex me falou certa vez:
- Ô amor, você podia dormir de touca, aquelas meias, que no outro dia ele vai ficar mansinho, mansinho. Mas dormir de touca comigo não tá? Vai sem touca mesmo que eu guento.
Aí fui lá, fiz escova e chapa. Fiquei com cara de "Dia de Princesa" do Netinho no SBT. O bem me jogou debaixo do chuveiro e mandou eu virar leoa de novo.
Pode?????

Ai, será que é por isso que a Sheila falou outro dia que vai me dar um dia de beleza?
Certeza.

Enquanto esse dia não vem, meu cabelo tem ficado assim. Igual bandido. Ou tá preso. Ou tá armado.

domingo, 21 de março de 2010

Ayrton Senna * 50 ANOS *







O maior cartão do mundo para o campeão:

O Instituto Ayrton Senna pretende montar o maior cartão de aniversário do mundo. É preciso postar uma mensagem de parabéns para ele no Twitter com o complemento #senna50 ou visitar diretamente o site do tricampeão. As 10 melhores mensagens recebem um kit e a vencedora ganhará a réplica de um capacete de Ayrton.


Fotos e créditos: terra e google

Ela fala e sai andando

Eita domingão.
A chuva tá batendo aqui na minha janela e, ao invés d'eu 'brucutu' na cama, estou aqui 'garrada' no meu blog.

E falando em blog, achei um...mas um... DIVINO.

Desde que acordei, que não páro de lê-lo dentre outras coisas.
A Elisa, autora do blog Ela fala e sai andando é divertidíssima, articulada, escreve bem, tem dons manuais e ainda tem tempo pro marido, pra casa, pro blog, pro formspring, pro Twitter... invejável sua disposição.

Olha o que ela postou certa vez:

24/11/2009
Relato de parto.

"Tire a roupa. Vista esse shortinho. Imite uma galinha. Suba aqui. Agora vá depressa. Agora vá devagar. Agora fique em um pé só. Ok. Agora abaixe. Agora levante. Créu velocidade 3,5. Agora abaixe rebolando até o chão. Aí. Falta pouco. Cuidado pra não desabar. Isso. Agora levante dançando Single Ladies. Na hora do "oh oh oh" sacuda os peitos. Não. Assim não. Desse jeito vão arrastar no chão frio. Isso. Agora um pouquinho de Macarena (Haaaay!), dois minutos de Joelma do Calypso. Joga o cabelo. Joga de novo. Pronto. Pronto. Pode vestir a roupa. Você vai malhar junto com aquela senhora ali. Não essa. A outra atrás, na cadeira de rodas. Isso. Comece apertando a bolinha de silicone. 1, 2, 3. Pronto. Esforço demais. Pode ir. 15 dias de repouso pelo esforço."


Tá. Não foi um parto. Foi uma Avaliação Física na academia. Mas garanto que o esforço foi o mesmo. Tô até de resguardo.


Não tive escolha senão segui-la. Não posso perder esse bonde.

sábado, 20 de março de 2010

Coisas que a vida ensina ...

Esse post eu ia deixar para amanhã.
Mas pode não dar tempo, pode ser tarde demais.
Às vezes tem alguém precisando ler alguma coisa assim HOJE.
E o amanhã pode não acontecer.
Para mim.
Para outrem.
Para quem está triste - e eu sei que tem gente que está.
E viver a vida alegremente, é um direito de conquista, de mérito e de valor.
De grande valor.

Coisas que a vida ensina depois dos 40,50,60...

Amor não se implora, não se pede não se espera...
Amor se vive ou não.
Ciúmes é um sentimento inútil. Não torna ninguém fiel a você.
Animais são anjos disfarçados, mandados à terra por Deus para
mostrar ao homem o que é fidelidade.
Crianças aprendem com aquilo que você faz, não com o que você diz.
As pessoas que falam dos outros pra você, vão falar de você para os outros.
Perdoar e esquecer nos torna mais jovens.
Água é um santo remédio.
Deus inventou o choro para o homem não explodir.
Ausência de regras é uma regra que depende do bom senso.
Não existe comida ruim, existe comida mal temperada.
A criatividade caminha junto com a falta de grana.
Ser autêntico é a melhor e única forma de agradar.
Amigos de verdade nunca te abandonam.
O carinho é a melhor arma contra o ódio.
As diferenças tornam a vida mais bonita e colorida.
Há poesia em toda a criação divina.
Deus é o maior poeta de todos os tempos.
A música é a sobremesa da vida.
Acreditar, não faz de ninguém um tolo. Tolo é quem mente.
Filhos são presentes raros.
De tudo, o que fica é o seu nome e as lembranças a cerca de suas ações.
Obrigada, desculpa, por favor, são palavras mágicas, chaves que
abrem portas para uma vida melhor.
O amor... Ah, o amor...
O amor quebra barreiras, une facções,
destrói preconceitos, cura doenças...
Não há vida decente sem amor!
E é certo, quem ama, é muito amado.
E vive a vida mais alegremente...

Artur da Távola

Para Alessandra

Eu e Alessandra

Alessandra disse:
oi madame enrolada
sabia q vc ia me da o bolo de nvo
vc como sempre cheia de coisas o pai ilumina essa emnte
vc me passa a labia sempre


Alessandra,

Você sempre aí, sempre aqui. Perto de mim.
O que você fez por mim naquela tarde eu não vou esquecer jamais. Ouvir 'mas eu faria isso por qualquer pessoa', me fez prestar atenção em você, que prestava atenção em mim e eu não percebia. E nesse sentido eu desvalorizei.
Nesses meses todos (já tem 1 ano?), você não desistiu de mim.
Me chama para sair, para ir à sua casa, ao clube e ao cinema.
Adoro seu convites. Adoro as nossas conversas. Pessoalmente e por msn. Sempre rimos não é mesmo?
O chato - e eu me envergonho disso - é que eu aceito pouquíssimas vezes e quando aceito, na maioria delas, eu ainda te dou bolo.

E você sempre aí. Sempre aqui.
Acho que você não entende, mas me compreende. [E eu acho isso lin-do em você].
Claro que me compreende, tá falando comigo até hoje!!!
Se fosse eu, já tinha te quebrado meia dúzia de dente. Aí você ficaria linda sem dente.
Rs.

Nossa conversa pelo msn hoje, me fez lembrar um texto que eu já conhecia.
Procurei no google e achei.
Me fez lembrar, porque estávamos falando de amores e de pudores. De dores e de dissabores.
E esse texto retrata muitíssimo bem, do que todo ser humano precisa.

Obrigada, obrigada, obrigada.
Meu cartão de visitas é dizer que eu tenho uma amiga como você.

Um beijo e um queijo.

Dar não é Fazer Amor.
(Luiz Fernando Veríssimo)

Dar é Dar.
Fazer amor é lindo, é sublime, é encantador, é esplêndido.

Mas dar é bom pra cacete.
Dar é aquela coisa que alguém te puxa os cabelos da nuca…
Chama-te de nomes que eu não escreveria.
Não te vira com delicadeza…
Não sente vergonha de ritmos animais.

Dar é bom. Melhor do que dar, só dar por dar.
Dar sem querer casar…
Sem querer apresentar pra mãe…
Sem querer dar o primeiro abraço de Ano Novo.

Dar porque o cara te esquenta a coluna vertebral.
Te amolece o gingado…
Te molha o instinto.

Dar porque a vida é estressante e dar relaxa.
Dar porque se você não der pra ele hoje, vai dar amanhã, ou depois de amanhã.
Tem pessoas que você vai acabar dando, não tem jeito.

Dar sem esperar ouvir promessas, sem esperar ouvir carinhos, sem esperar ouvir futuro.
Dar é bom na hora. Durante um mês. Para os mais desavisados, talvez anos.

Mas dar é dar demais e ficar vazio.
Dar é não ganhar.

É não ganhar um “eu te amo” baixinho perdido no meio do escuro.
É não ganhar uma mão no ombro quando o caos da cidade parece querer te abduzir.
É não ter alguém pra querer casar, pra apresentar pra mãe, pra dar o primeiro abraço de Ano Novo e pra
falar: “Que que cê acha, amor?”

É não ter companhia garantida pra viajar.
É não ter pra quem ligar quando recebe uma boa notícia.
Dar é não querer dormir encaixadinho…
É não ter alguém pra ouvir seus dengos…
Mas dar é inevitável…

Dê mesmo, dê sempre, dê muito…
Mas dê mais ainda, muito mais do que qualquer coisa, uma chance ao amor!


Muah!

Cida souza disse...

cida souza disse...
Nossa!o Eduardo é gatissimo,quem é,como se conheceram,conta mais Ninive,bjssss kkkkkk
19/03/2010 01:15:00


Cida querida, pedi para o Eduardo contar a versão dele.
Ele não quis.
Na minha também não dá.
Rs.
Sério.Rs. Não dá mes-mo.
Talvez no livro, eu revelo em páginas pretas.

O que posso dizer, é o tempo que nos conhecemos, que da boca dele, teve essa tradução:
-Ruivinha, em agosto desse ano fará 2 anos que estamos juntos, né?

sexta-feira, 19 de março de 2010

Agenciando o Eduardo



[...]
Nínive Lage diz (00:29):
tudo bem o post?
Eduardo diz (00:30):
sim uai...tenho frescuras nao ninive
n colocando meu msn...pq aih ficaria dificil aceitar tantos convites...
Nínive Lage diz (00:30):
mas eu tinha que perguntar né..n custa seu nome tá lá e tals
é..rsss
e olha que eu nem coloquei uma foto sua hein
Nínive Lage diz (00:31):
se colocasse pro povo ver a cara que esse Eduardo tem
ai eu tava perdida
ou n
meu blog ia bombar
manda uma foto sua
manda manda



MANDOU.

quinta-feira, 18 de março de 2010

Cercada de bom humor

Boa noite!

Por mais que eu tenha motivos - e eu ando tendo viu? - para estar triste, ficar magoada, ou com vontade de chorar, meu bom humor, não só aqui no blog, mas socialmente e no trabalho, tem me ajudado a passar por algumas intempéries.
E isso tem me feito mais leve. A cada dia.

Hoje, foi a vez d'eu cair na gargalhada com um rapazinho muito legal.
Boniiito e legal.

Ele estava me contando por msn que achou um terreno muito bom aqui no bairro que moramos e que por isso ele vai comprá-lo. Sábado ele vai lá 'bater o martelo' com o dono do terreno. Só que eu estava conversando com ele, lendo algumas coisas na internet e vendo BBB10. Por causa disso, eu acabei não prestando atenção direito.

[...]
Nínive Lage:
vc ta comprando um terreno, é isso?
Eduardo:
SIm....pra depois de escritura em meu nome.....começar a construir...empresa do meu TIo q fara as obras...
Nínive Lage: vc vai ter duas casas?
Eduardo: sim....
Eduardo: mas com essa toda acertada...e jah dando inicio as obras que sera apos escrituraçao em meu nome....apos isso...vendo a de laranjeiras....Vi q nao seria feliz lah..."longe" de tds aqui...e ficando por aqui posso aumentar a casa de acordo eu bem entender...
Nínive Lage: quando mudou de idéia?
Eduardo: ha 2 semanas...
Eduardo: dai jah comecei correr atrasd e terreno....mas nao faria isso se o terreno nao fosse muito bom
Nínive Lage: vc vai morar em Fundão?
Eduardo: acho q encontrei...perto de jacara, ao lado de manguinhos...seletivo an frente, o qual uso pra trabalhar...pertinho da praia... FUNDAO eh onde o Dono atual do terreno mora....o terreno eh na saida de jacaraipe indo sentido manguinhos...uma rua antes do radar...
Nínive Lage: ah tá
Nínive Lage: fiz confusão
Nínive Lage: então o terreno é entre jacara e manguinhos
Eduardo: na curva da baleia...
Eduardo: jacaraipe ainda
Nínive Lage: n sei onde é curva da baleia
Eduardo: jah te expliquei


Aí ele explicou de novo.

Nínive Lage: vc ja falou isso 3x
Nínive Lage: mas eu n estava entendendo
Eduardo: rs
Nínive Lage: lá é chique hein bem. Nossa vai morar bem pra caramba
Eduardo: 3vezes.... pensei q tivesse falar mais 5
Eduardo: ou desenahr sei lah rss


Algum tempo depois...

Eduardo: vou te mandar um negocio
Nínive Lage: como que eu pego a foto?
Eduardo: aceita
Eduardo: mudei um pouco de angulo
Eduardo: baixou?
Nínive Lage: n sei. Onde eu olho ?
Eduardo: nao apareceu nada pra vc clicar aih no msnnao??
Nínive Lage: apareceu e eu cliquei mas ...
Eduardo: denovo baby rsss
Nínive Lage: :( ah n to sabendo como fazer
Eduardo: periha, vou mandar por email
Eduardo: sabe ver email??
Nínive Lage: KKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKK fdp

Eduardo diz (23:26):
foi
Eduardo diz (23:27):
pro emailo
Nínive Lage diz (23:27):
recebi vou la ver
Eduardo diz (23:27):
clica 2 vezes na fotinha....
Eduardo diz (23:27):
q abrira....senao conseguir clica uma vez depois aperta enter
Eduardo diz (23:28):
rsss
Nínive Lage diz (23:28):
o nome do arquivo
KKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKK
nossa vc colocou até um negocinho lá pra eu ver
Nínive Lage diz (23:29):
rssss
vc manja hein?
adorei
Eduardo diz (23:29):
ufa
ainda bem
so dependia do seu OK
Nínive Lage diz (23:29):
kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk


Essa minha dificuldade toda, para eu receber uma foto.
Paciência é uma virtude, né Eduardo????
Claro, ele me zoou...olha o nome que ele colocou no arquivo. Rs.

terreno...SE NÃO CONSEGUIR AGORA DESENHO.JPEG

Depois, ele pegou o CEP da minha rua de Uberaba e me mandou uma foto- por e-mail claro. E não é que o danado me achou lá? Rs.

De: Eduardo Tristão
Para: Nínive Lage
Anexos: 1 anexo
beraba.JPG (239,7 KB)

aprendeu???vamos exercitar??‏


KKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKK
Coisa boa é rir.

Boa sexta feira.

Muah!

Bom humor TOTAL

Olá!

Acordei muuuito bem humorada e isso é praticamente um milagre.
Não gosto de levantar cedo. Detesto. Mas não um detesto qualquer, é um déééé-tééés-to, mesmo. Mas confesso: quando levanto cedo, fico bem o dia todo.
[suspirando]
Acabou a mamata, agora trabalho o dia todo. Nada de acordar as nove ou dez, ligar a TV e o PC e ficar escutando uma e lendo no outro.
Em miúdos, minha efetivação saiu. Iurrullllllllllll.

Agora, no horário de almoço, comecei a ler meus e-mails pessoais e recebi um que eu já conhecia, mas que me fez dar uma das minhas gargalhadas.
Sheila está até agora perguntando o quê que foi.
- Meu bom humor, oras!
Mentí.
Aqui, porque eu ri:

**(Luiz Fernando Veríssimo) **

Eu nunca havia entendido porque as necessidades sexuais dos homens e das mulheres são tão diferentes.

Nunca tinha entendido isso de ‘Marte e Vênus’.
E nunca tinha entendido porque os homens pensam com a cabeça e as mulheres com o coração.

Uma noite, na semana passada, minha mulher e eu estávamos indo para a cama.
Bem, começamos a ficar a vontade, fazer carinhos, provocações, o maior ‘T’ e, nesse momento, ela parou e me disse:
- Acho que agora não quero, só quero que você me abrace…
Eu falei: - O QUEEE???
Ela falou: - Você não sabe se conectar com as minhas necessidades emocionais como mulher.

Comecei a pensar no que podia ter falhado. No final, assumi que aquela noite não ia rolar nada, virei e dormi. No dia seguinte, fomos ao shopping.

Entramos em uma grande loja de departamentos. Fui dar uma volta enquanto ela experimentava três modelitos caríssimos. Como estava difícil escolher entre um ou outro, falei para comprar os três. Então, ela me falou que precisava de uns sapatos que combinassem a R$ 200,00 cada par. Respondi que tudo bem.

Depois fomos a seção de joalheria,onde gostou de uns brincos de diamantes e eu concordei que comprasse. Estava tão emocionada!!! Deveria estar pensando que fiquei louco. Acho até que estava me testando quando pediu uma raquete de tênis, porque nem tênis ela joga. Acredito que acabei com seus esquemas e paradigmas quando falei que sim. Ela estava quase excitada sexualmente depois de tudo isso. Vocês tinham que ver a carinha dela, toda feliz!

Quando ela falou: - Vamos passar no caixa para pagar, amor?

Daí eu disse: - Acho que agora não quero mais comprar tudo isso, meu bem…
Só quero que você me abrace.

Ela ficou pálida . No momento em que começou a ficar com cara de querer me matar, falei: - Você não sabe se conectar com as minhas necessidades financeiras de homem.

Vinguei-me!
Mas acredito que o sexo acabou pra mim até o Natal de 2020…

quarta-feira, 17 de março de 2010

Final da conversa com a Nanda

Meu dodoizinho

[...]
Nínive Lage diz (00:09):
cd a Nina*?
***...N ND ...*** diz (00:09):
a pretaiada fedida ta na caixinha
escutando o filme
Nínive Lage diz (00:09):
fedida??? de novo?
escutando?
rsssss
***...N ND ...*** diz (00:09):
mas ela com 3 dias de banhu ta fedendo já
***...N ND ...*** diz (00:10):
escutando pq ela fica de costa
Nínive Lage diz (00:10):
kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk
***...N ND ...*** diz (00:10):
pra tV
Nínive Lage diz (00:10):
ai Nanda so vc
***...N ND ...*** diz (00:10):
rsrs
bom intom
Nínive Lage diz (00:10):
manda beijo pra mamãe, fala pra ela me ligar, to sem crédito
***...N ND ...*** diz (00:11):
ok
Nínive Lage diz (00:11):
beijo pra todo mundo e otro procê
***...N ND ...*** diz (00:11):
já vi q eu vou ter q discar......aiai
Nínive Lage diz (00:11):
rssss
***...N ND ...*** diz (00:11):
boa noite e xau

terça-feira, 16 de março de 2010

Ainda falando sobre nomes


Olha o que a minha irmã acabou de escrever para mim, por msn, depois que ela leu meu post de segunda-feira.

..N ND ...*** diz (23:32):
engraçado
tem uma colega que chama Lina (aquela da minha formatura)
aí as pessoas perguntam... aline ?
naum. é Lina.
Elina?
Só Lina?
ah Solina?
tadinha
Nínive Lage diz (23:33):
kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk
***...N ND ...*** diz (23:33):
Aí o nome dela é Lina Tiara aí ela as vezes se apresenta como Tiara
Nínive Lage diz (23:33):
rsssssssssss
dureza viu
***...N ND ...*** diz (23:34):
acredita que tem gente que me chama de Fernandinha
alguns irmãos q axam q naum é nanda e pq lembrar q sou filha do Fernando
Se fosse fernanda chamavam de nanda, mas como é nanda chamam de fernandinha
Nínive Lage diz (23:34):
kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk
Nínive Lage diz (23:35):
ai tenho que colocar isso no meu blog perai
***...N ND ...*** diz (23:35):
isso quando o povo da Uniube num liga aki, pergunta o nome e fala assim
eu perguntei seu nome
meio que irritados
serio mesmo
povo ignorante
Nínive Lage diz (23:36):
como se Nanda n fosse nome
***...N ND ...*** diz (23:36):
pois é


Veia cômica essa minha família.
Essa daí ó, é oconcour

Causo II

Ana Paula e eu

Em setembro de 2008, eu e a minha amiga Ana Paula, viajamos para Caldas Novas. Foi lá que nos tornamos melhores amigas. Ana passou por todos os testes iniciais que as pessoas passam para saber se querem mesmo ficar comigo. Afinal, viajar na minha companhia é viver intensamente e claro, ter estórias para contar.

Pegamos o busão, o último da noite e chegaríamos as quatro da manhã. No meio do caminho, sei lá porque meu dente começou a doer e Ana é daquelas que se prepara por inteiro para viajar. Ela levou de tudo, roupa de calor, de frio, vários remédios, meias....super prevenida. E falou:
- Pinga três gotinhas de novalgina no dente que passa.
Eu dei uma olhada prá ela:
- Não acredito. Quem te falou isso?
- Mas é verdade. Pinga prá você ver.
- Eu não. Tá doida?


Pinguei. Passou. E não é que é mesmo?

Chegamos na rodoviária, chamei um táxi e peguei na bolsa o endereço que a mamãe passou, porque era a 2ª vez que iria e não me lembrava direito.
Ainda no táxi saquei o molho de chaves. Tinha umas 8 e ainda uma tetra. Balancei e ri para a Ana Paula.
- Ó até eu abrir tuuuu-do, o dia vai estar amanhecendo, aí a gente já coloca o biquini e vamos pro clube.
- Ah tá.


Paguei o táxi e comecei, chave 1, chave 2, chave 3, chave 4.... porque a chave certa é sempre uma das últimas?
O taxista ficou esperando porque estava de madruga e era perigoso.
Abri. Ufa!
Mas era só a do portão, ainda tinha a da portaria.
Chave 1, chave 2, chave 3, chave 4 ...
- Agora falta só a do apartamento.
Ana Paula só olhando.
Subimos. Terceiro andar.
- Qual é o apartamento mesmo?
- Cadê o papel?
- Ai, será que ficou no táxi?
- Acheiii. Apartamento 302, o primeiro a direita.
- Mas o primeiro a direita é o 301.
- E agora?
- Confiamos no lado, ou no número?
- Ah! A mamãe deve ter errado o número, ela não erraria o lado.


Lá fora o galo cantou.

- Cadê o molho de chaves?
- Ai coloquei na bolsa de novo. Não tem luz nesse corredor não?

[Procurando]
- Achei.
Chave 1, chave 2, chave 3, chave 4...
Uma luz de dentro do apartamento acende.
- Quem é?
Fiquei estática, a chave garrou, nem ia nem vinha.
[cochichando]- Ana do céu, erramos de apartamento.
- Quem é?- falou uma voz masculina.
- É..é..é. Nínive?
- Quem???
- Nínive.


Alguém de dentro tentando abrir a porta e eu de fora tentando virar fumaça.
A Ana estava de olhos arregalados e sua boca em formato de 'o'.
Abriram a porta. Era um senhor.
- Me desculpe, meu nome é Nínive, eu sou neta da D. Aparecida e filha do Fernando Lage. É a primeira vez que venho sozinha e acho que anotei errado o número do apartamento.
- Quem é você?
- Nínive, filha do Fernando Lage, neta da D. Aparecida.
- Deixa e ver aqui, eu sou o síndico.


Síndico??? Taaaanto lugar para eu bater errado.
- Quem é? - perguntou uma voz feminina
- É a neta da D. Aparecida. Ela errou de apartamento
Era a esposa do síndico, de penhoar e rolinhos na cabeça. Uma coisa medonha e bizarra do tipo D. Florinda?. Pois é.
Ele pegou a relação de condôminos e disse:
- É aqui na frente, minha filha.
- Me desculpe, senhor, eu devo ter anotado errado.


Me virei e a Ana continuava com a boca em 'o' e fomos para o apartamento certo.
Peguei - de novo - o molho de chaves.
Chave 1, chave 2, chave 3, chave 4...

Mal fechei a porta e caí na risada, Ana me deu uma olhada e eu fui falando:
- Já te falaram como é viajar comigo? Então se prepara....

Nos ajeitamamos, deitamos e escutamos o galo cantar mais uma vez.

No outro dia batí na posta do síndico DE DIA e me desculpei.
Fomos ao clube e água morna é uma tentação.
Só não estava melhor, porque os dias estavam muito quentes e não dá para ficar como uma jacaroa, imersa.
Mas ficamos.
Sentadas na beirinha com a água até acima da cintura, ficamos de papo com um senhor e seu filho, claro o filho dando moral para a Ana e o senhor para mim.
Ai.
A certa altura da conversa, eles resolveram sair.
[Ufa! Estávamos cozinhando já.]
- Vamos sair?
- Vamos.


Saimos rapidamente da piscina. Quando fui vestir um short falei:
- Ai, acho que fiquei tonta.
- Eu também.


Descemos e pedimos duas águas de coco.
- Glup, glup, glup
- Glug, glup, glup.


Dei três goladas e comecei a passar mal. A sensação que eu senti e que ainda hoje me vêm à mente, foi a de morrer. É horrível.
Abaixei a cabeça para frente, inclinei o corpo para trás e fiquei segurando o corpo no côco.
Em segundos, senti meu corpo rodando em piruetas, como se estivesse dançando nas olimpíadas de Vancouver, sobre os patins.
Apaguei.
Quando voltei, eu não estava enxergando e nem escutando. Chamei pela Ana Paula e ela estava do meu lado.
Coloquei a mão sobre meu corpo e vi que continuava de biquini e short.
Aos poucos passei a escutar mas ainda não conseguia entender e ainda não estava enxergando.
O que eu tive foi choque térmico. Ter saído da água muito rapidamente e bebido a água de côco gelada, causou-me esse mal-estar.
Eu achando que estava dando piruetas quando na verdade, era um salva vidas que me viu sentindo mal, me pegou no colo e saiu correndo comigo até a casinha de atendimento.
Ele e o clube inteiro.
Quando meus olhos desanuviaram, vi que a sala estava cheia de gente. A Ana estava sentada do meu lado com a cabeça baixa e eu com cara de paisagem.
Algum tempo depois, me levantei, agradeci a presença de todos e fui para casa.
No caminho, percebi que a Ana Paula também estava passando mal. Em casa ela me disse que a sala estava cheia de baratas mortas. Ela estava descalça, tinha pisado em várias delas e mesmo assim, não saiu de perto de mim.

Tomamos banho e dormimos a tarde toda.

No outro dia eu era a estrela do clube. Todo mundo estava me olhando e uns vieram me cumprimentar. Acho que até dei autógrafos. Rs
Ahan.
Realmente, a cena dele correndo comigo nos braços deve ter sido lindíssima ou engraçadíssima, porque era só isso o que eu ouvia.

Faltava agradecer o meu parceiro de dança.
Quando eu vi a estrutura física do salva-vidas, não conseguí entender como ele conseguiu sair correndo comigo nos braços.
É.. posso estar subestimando as forças dele, mas é que no fundo não tão fundo eu sou exigente: se for para dançar, que seja para dar um show!
Porque público meu bem, eu já tenho.

My lifeguard

Chica Chiclete

Sabe a festinha que falei que fui sábado?
Bafãoooo.
Rs.

A foto aí ó.
Uma das...

Valorize as pessoas

Boa tarde!

Hoje fui trabalhar pela manhã. Aí resolvi que a tarde iria assistir Sinha Moça.
Ahan. Tá eu aqui garrada no blog.
Vim pensando em contar um causo. E um sorriso de canto de boca era sinal de que eu estava me lembrando de um dos bons.

Cheguei em casa, abri minha caixa de e-mails e recebi essa frase linda falando sobre amizade: "Nunca desvalorize ninguém. Guarde cada pessoa perto do seu coração, porque um dia você pode acordar e perceber que perdeu um diamante enquanto estava muito ocupado colecionando pedras."

Aí, abri outro e-mail que conta sobre o Christian, um leão criado em cativeiro. Como eu já conhecia, deletei, mas não sei porque o vídeo acabou abrindo e eu o assisti novamente.
Hum .. meu coraçã ficou pequenininho.
Hum.. fiquei pensativa ....
Deu uma sauda-a-a-a-de de tudo e de todos.

video
Christian, the Lion

Ai ai...

Faz assim. Vou assistir um pouco de TV e à noite prometo que conto com mais disposição o tal causo.

Muah!

segunda-feira, 15 de março de 2010

Segunda tensa!

Olá!

Ô diazinho esse meu viu. Nú.
Minha cabeça está doendo a tarde toda.
Vários pepininhos no trabalho. :(
Ainda por cima estou procurando AP, preciso me mudar.
Contei?
Então.. prá ontem. Fui até na UFES hoje. Garimpei todos os murais da UFES atrás de anúncio de AP. Igual cachorro em poste? Via um e parava, mas no meu caso eu não fazia xixi não... só anotei os telefones mesmo.
Agora vou fazer uma lista, sair ligando, anotando os endereços para depois fazer visita. De casa em casa.
- Oi, te liguei e vim conhecer o Ap. Meu nome é Nínive.
- Quem?
- Nínive.
- Denise?
- Não, Nínive.
- Niviti?
- Não, Ní-ni-ve.
- Níniver.
- Não tem erre.
- Nossa, como é mesmo seu nome?
- Nínive. ene-i-ene-i-vê-é
- Ah...tá..deixa prá lá com o tempo eu aprendo.
- Então.. tem vaga?


Sempre tive que lidar com isso?
E no telefone, então? Ah não, abafa. No telefone é uma novela.
- Arena Muniz, boa tarde.
- Boa tarde, quem fala?
- Nínive.
- Quem?
- Nínive.
- Denise?
- Não. Meu nome é Nínive.
- Pode soletrar?
- Ene de navio, i de igreja, ene de navio de novo, vê de vela e ê de escola. Não, não tem erre. Nínive. Termina no 'e'.
- Ah tá. Que diferente. Bonito. A Drª Rosane está?


Poooooooooooooooo-de uma coisa dessa???????????????????????

E sempre tive sina para ter colegas, amigas e namorados com nomes tão difíceis quanto.
As meninas: Séfora, Moara, Quézia, Adshiza, Clemildes .. .. ..
Os meninos: Wellington, Jacinto Humberto, José Cid, Ádamo .. . ..

Como a mamãe gastou tu-u-u-udo comigo, e o meu irmão nasceu de 7 meses, ela não deve ter tido tempo de fazer uma busca avançada e o chamou de Rafael mesmo. (Melhor que Nabucodonosor, Narciso, Nairon...)

Com a minha irmã - que já são cinco anos de diferença entre mim - ela quis ainda mais simples. E olha que ela podia ter escolhido Nívea, Nirislene, Natasha, Nuria. Porque tempo ela teve.
Mas preferiu Nanda, que de tão simples, enfrenta quase que o mesmo problema que eu:
- Ah Fernanda?!
- Não. É Nanda mesmo.
- Amanda?!
- Não, Nanda.
- Ah tá. Mas é Nanda ou Ananda?

Minha filha vai se chamar Helena.
- Com ou sem 'H'?
Até lá eu penso, tá?

Boa semana!!

Muah!

domingo, 14 de março de 2010

Mudança por Clarice Lispector

Olá!

Não pensei mais na minha vida hoje, porque passei o dia dormindo.
Estou com a cara amarrotada de tanta cama.
A festa ontem foi hilária, com a participação da Chica Chiclete.
Ela é um travesti enorme, estava toda de rosa, seus pés são grandes e os sapatos estavam engraçados neles. Rs
Tenho fotos, mas ainda não peguei. Assim que pegar, eu posto.
Hoje eu iria viajar, mas fiquei com preguiça até para sair de casa. Não fui.
Ajudei a consumir 100lt de chopp ontem, e isso me deixou alegrinha, alegrinha. Rs.
Peguei o busu mais prá lá que prá cá. E eu de salto: elegência sempre.
O dia hoje estava liiiin-do, mas não quis a praia (sai deprê!!!).
Dormi no final da tarde e acordei umas 18:30, tomei banho e estava lendo até agora. Lendo e conversando no msn.
Ai ai.
E achei nos meus e-mails um texto de uma chefe que se tornou amiga.
Ela me incentivou a fazer faculdade e em um encarte do meu convite de formatura, eu a agradeci por aquela conversa.



Sempre presente, ela me mandou essa semana um texto lindo.
Ela não mandou para sua lista de amigos. Ela mandou para mim.
Exclusivamente.
Olha que lindo!


De: Chefinha
Enviada: terça-feira, 9 de março de 2010 8:22:10
Para: Nínive Moreira Lage


MUDANÇA

Mude, mas comece devagar,
porque a direção é mais importante que a
velocidade.
Sente-se em outra cadeira, no outro lado da mesa.
Mais tarde, mude de mesa.
Quando sair, procure andar pelo outro lado da rua.
Depois, mude de caminho, ande por outras ruas,
calmamente, observando com
atenção os lugares por onde você passa.
Tome outros ônibus.
Mude por uns tempos o estilo das roupas.
Dê os seus sapatos velhos.
Procure andar descalço alguns dias.
Tire uma tarde inteira para passear livremente na praia,
ou no parque, e ouvir o canto dos passarinhos.
Veja o mundo de outras perspectivas.
Abra e feche as gavetas e portas com a mão esquerda.
Durma no outro lado da cama...
Depois, procure dormir em outras camas
Assista a outros programas de tv,
compre outros jornais... leia outros livros.
Viva outros romances.
Não faça do hábito um estilo de vida.
Ame a novidade.
Durma mais tarde.
Durma mais cedo.
Aprenda uma palavra nova por dia numa outra língua.
Corrija a postura.
Coma um pouco menos, escolha comidas diferentes,
novos temperos, novas cores, novas delícias.
Tente o novo todo dia.
O novo lado, o novo método, o novo sabor,
o novo jeito, o novo prazer, o novo amor.
A nova vida.
Tente.
Busque novos amigos.
Tente novos amores.
Faça novas relações.
Almoce em outros locais,
vá a outros restaurantes,
tome outro tipo de bebida,
compre pão em outra padaria.
Almoce mais cedo,
jante mais tarde ou vice-versa.
Escolha outro mercado... outra marca de sabonete,
outro creme dental...
Tome banho em novos horários.
Use canetas de outras cores.
Vá passear em outros lugares.
Ame muito,
cada vez mais,
de modos diferentes.
Troque de bolsa, de carteira, de malas,
troque de carro, compre novos
óculos, escreva outras poesias.
Jogue os velhos relógios,
quebre delicadamente
esses horrorosos despertadores.
Abra conta em outro banco.
Vá a outros cinemas, outros cabeleireiros,
outros teatros, visite novos museus.
Mude.
Lembre-se de que a Vida é uma só.
E pense seriamente em arrumar um outro emprego,
uma nova ocupação,
um trabalho mais light, mais prazeroso,
mais digno, mais humano.
Se você não encontrar razões para ser livre, invente-as.
Seja criativo.
E aproveite para fazer uma viagem despretensiosa,
longa, se possível sem destino.
Experimente coisas novas.
Troque novamente.
Mude, de novo.
Experimente outra vez.
Você certamente conhecerá coisas melhores
e coisas piores do que as já
conhecidas, mas não é isso o que importa.
O mais importante é a mudança,
o movimento, o dinamismo, a energia.
Só o que está morto não muda !
Repito por pura alegria de viver: a salvação é pelo risco,
sem o qual a vida não vale a pena !!!


Clarice Lispector


Obrigada, Rejane. Sempre.

Muah!

sábado, 13 de março de 2010

Ontem, hoje e amanhã

Bom dia (espia a hora)

Quinta-feira cheguei em casa de madruga.
Denny, um amigo me convidou para sair com ele e um amigo inglês.
Aceitei o convite.
Denny trabalharia até as oito e eu cheguei na casa dele bem antes disso.
O porteiro:
- Você é a Mímide?
- Sou
- Denny ligou e pediu para avisar que vai chegar atrasado.
- Ai. O amigo dele tá aí?
- Tá. É gringo.
- Fala nada de portugês?
- Não.
- Nem eu de inglês.


10 minutos depois:
- É vou subir.

Campainha.
- Hi
- Hi
- My name's Nínive. Sorry, I don't speak english, but I will try.
- Eo thambém, no falow portugueix.
- Que beleza. I join?

Hesitante
- Ok.

Mal adentrei e percebi o porque que ele atendeu a porta só com a cabeça de fora: estava só de cueca.
Então eu quis dizer: - não se preocupe (not worry), mas eu disse:
- I do not care
Que quer dizer, por mim pode ficar assim.

ASSEDIEI O CARA!!! AAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAA

Ficou por isso mesmo.
Quando Denny chegou eu disse: Deus seja louvado!

Fomos ao Coronel Picanha. Comemos, bebemos e saímos de lá mais de 23h.
O Anees (gringo) estava morto de sono, porque para ele já eram umas 3 da manhã. Coitado, fuso horário é mals.

Denny me deixou no terminal. Peguei o último do último busão.
Hoje, Denny me contou que eles ainda foram para a rua da Lama e beberam até as três.
Para o Anees, eram sete da matina. Deve ser por isso que ele já queria ir embora tomar café da manhã.

Amanhã (hoje) eu tenho uma festa ótima para ir! (Restabelecendo)
Domingo vou viajar com o Denny e o Anees.

Tenho que tomar vergonha e dar um jeito de aprender inglês genteeeee!!!!

No mais tudo nos conformes.

Muah!

quarta-feira, 10 de março de 2010

Hoje eu choreiiii .....

Chorei. Chorei. Chorei.
Pela manhã. E como chorei.
Cheguei a apoiar as mãos no rosto para segurar todo o corpo.
Lavei a alma.
Se não tivesse acabado de tomar banho, eu tinha ido chorar debaixo do chuveiro, para ver se a dor ia embora pelo ralo, junto com as lágrimas e a água do chuveiro.
Mas não foi o caso.
Um probleminha sabe, daqueles que a gente têm que curtir ele toooo-do para depois se reestabelecer? Pois é.

Fui trabalhar.

A tarde.
Meu dia foi cheio. Como ontem, trabalhei até depois do horário.
Entre uma tarefa e outra, e escutando a Sheila (amiga do trabalho) contar as suas coisas numa rapidez impressionante, comecei a sorrir.
Entre um papo e outro eu já estava rindo.
Rindo de ouvir ela dizer que vai me dar um tratamento de beleza completo.
- Assim que você se mudar, eu vou na sua casa. Vou alisar a raiz do seu cabelo, pintar, dar massagem, fazer escova. Para o seu cabelo ficar bonito. Não! Não que ele não seja, ou que ele esteja feio, não foi isso o que quis dizer, mas tenho certeza que ele liso vai ficar melhor em você tá?

Passei a tarde rindo com ela.
Rimos relembrando do meu post de ontem. Depois ri sozinha, porque me lembrei de outro causo.
Deu o horário dela, ela foi trocar de roupa para ir malhar.
Fiquei reparando seu ritual: ela trocou de roupa, penteou os cabelos, prendeu, passou alguma coisa neles, sacou um tubo de nívea, passou na perna e nos braços. Deu mais uma ajeitada, pegou a mochila e foi malhar.
Sorri de novo.

Coisa boa, né terminar o dia assim?

Muah!

terça-feira, 9 de março de 2010

Causo

Olá!

Fui mais cedo trabalhar, porque tinha que estar em Guarapari antes das 13:30, horário de duas audiências.
No caminho para Vitória, de busão, às 11h da manhã o mormaço estava daqueles. Chegando a certa altura da Reta da Penha, o trânsito que já estava lento, parou. Isso fez com que as pessoas passassem a reclamar. E piorou ainda mais, quando viram que era por motivo de obras:
- Obras? A essa hora?
- Ah! Não acredito!
- Por que não fazem isso à noite?
- Para não pagar hora extra, adicional noturno


:(

Da janela, percebi que a minha nuca estava molhada, bem como a minha costa e entre o busto. Passei a mão no 'bigode'..uh! calor ...
Faltavam uns 5 minutos para chegar, mas de fato demoraram uns 15 ou 20 talvez e não sei porque me lembrei de uma estória muito engraçada que me fez rir os 15 ou talvez 20 minutos restantes da viagem. Eis:

No carnaval do ano passado fui para São Paulo. Érika, uma amiga há uns 14 anos, me encontrou no aeroporto e fomos para a rodoviária pegar o busão para sua casa de praia em Praia Grande. Na rodoviária, fomos até a viação Breda e compramos as passagens. No guichê, o atendente avisou: Chequem o horário!.
Assim que o ônibus encostou, conferimos o horário que estava pregado nele e subimos. Avistei alguém sentado na minha poltrona. Érika foi logo procurar outro lugar quando eu disse:
- Moço, esse lugar é nosso.
- Não, esse assento é meu.

Peguei minha passagem e falei:
- Mas olha, eu comprei esse lugar.
E mostrei a ele.
- Ah tá, é mesmo, mas em outro ônibus, porque esse vai para Cubatão.

Eu dei uma gargalhada tão alta e rio ainda agora quando lembro. Se ele não estivesse sentado no 'meu' assento, ou se ele chegasse depois de mim e me visse sentada ali e não falasse nada, eu estava em Cubatão até hoje. Rs.
Descemos e dessa vez pegamos o busão certo. Não sem antes perguntar repetidas vezes.
Assim que entramos no outro busão, continuamos rindo do nosso primeiro fora e fui logo avisando:
- Pranta, [nosso apelido] você me conhece não conhece? A viagem promete!.

Dessa vez, no busão certo

Ficamos durante o dia na praia e a noite procurávamos algo para fazer. Nada que fosse tão carnavalesco, mas que fosse tão divertido quanto.
Então, um dia à noite, resolvemos ir ao centro de Praia Grande ver mais movimento.
Ela sabia, mais ou menos, como circular lá, como também sabia, mais ou menos, o horário que o ônibus parava de circular, como sabia mais ou menos, onde iríamos. E foi nesse clima de aventura que pegamos um ônibus que estava indo para o Centro.
Passeamos, compramos, perobamos, comemos e vimos as pessoas na rua.
Quando achamos que já estava beeem tarde, resolvemos garimpar um ônibus de volta.
Tomamos um chá de cadeira no ponto de ônibus, que passava todos, menos o que nos levaria de volta para casa e lá pelas tantas, ele passou.
Ainda não estava cheio, mas a cada ponto, era só gente subindo.
Nos demos conta, que aquele era o último de volta, antes que o dia amanhecesse.
A certa altura, já bem de madrugada, alguém dá sinal e sobe uma família. Não uma família como a minha: pai, mãe e dois irmãos. Parecia família inteira de parentes: irmãos, respectivas mulheres, filhos, sogra, cunhados, co-cunhados, sobrinhos, e a medida que foram passando na roleta, diziam:
- É o Beltrano que tá ali, ó, que vai pagar.
O cobrador, olhou pela janela e viu o Beltrano ainda esperando a sua vez de subir, porque a família de parentes era realmente grande.
Quando o pagador de passagem de toda a família dos parentes chegou na roleta, ele se deu conta que o dinheiro que estava no bolso, não estava mais. Ele olhou uma vez, duas, três, quatro, gritou uma mulher, a outra, o outro e por fim, o motorista.
- O dinheiro caiu, pára o ônibus motô. Motô, o dinheiro, caiu, pára o ônibus.

O ônibus já tinha saído do ponto que os tinha pego e já estava bem apressadinho para acabar aquela viagem. Mas ele parou, perguntou o que tinha acontecido e deu ré.
Pranta e eu começamos a rir.
- Estamos indo Pranta, mas agora é de ré.
- Para casa que não é.
- Talvez para Cubatão, quem sabe?


O homem procurou esse dinheiro e procurou e procurou e nós com o pescoço esticado vendo a agonia dele. A essa altura, todos os filhos pequenos dessa família de parentes e àqueles que nem parentes eram, começaram a chorar. Que beleza!

A cena foi ficando tragicômica. Mas aqueles que tinham trabalhado até quase aquela hora, perderam a paciência e pediram para o motorista seguir viagem.
O cobrador não deixou:
- E a viagem deles, quem vai pagar? Passou todo mundo na roleta.

Alguém, um desses que estava cansado e estressado, perguntou:
- Quanto é?
O cobrador começou a fazer as contas.
- R$ 23,00
Ele pagou.

A viagem seguiu, deixando o pagador de passagem da família de todos os parentes para trás, procurando o dinheiro. Quando a viagem retomou, uma mocinha, de uns 5 ou 6 anos de idade, começou a vomitar bem do meu lado e da Pranta. Arght!
Estava mesmo muito quente, o ônibus lotado e todos, absolutamente todos estavam exaustos daquela viagem, que estava só na metade.

A sensação que tenho é que foi dado um minuto de silêncio, antes que um alguém se manifestasse em alto e bom som. Aliás esse um, estava bêbado, bem maltrapilho, com um sorriso no rosto, mostrando seus poucos dentes bem amarelados.
Esse um, sem querer [talvez querendo], retratou em música, o caos que tínhamos acabado de passar.

E cantou:

Esta família é muito unida
E também muito ouriçada
Brigam por qualquer razão
Mas acabam pedindo perdão...

Pirraça pai!
Pirraça mãe!
Pirraça filha!
Eu também sou da família
Eu também quero pirraçar...

Catuca pai!
Catuca mãe!
Catuca filha!
Eu também sou da família
Também quero catucar
Catuca pai, mãe, filha
Eu também sou da família
Também quero catucar...


Pranta e eu no busão de madrugada

Quer saber? Foi uma delícia, não foi Pranta?

Muah!

segunda-feira, 8 de março de 2010

Ração humana



Boa noite!

Recebo o newsletter da revista Boa Forma e hoje saiu uma matéria sobre Ração Humana.
Claaaa-ro que até aquelas que não fazem dieta - como eu - pelo menos vão querer saber o que é isso.
Então lá vai a matéria, na íntegra.

Muah!

O nome é esquisito e não se trata de uma novidade. Mas a ração humana virou mania entre as mulheres preocupadas em perder peso. Criada pela terapeuta natural Lica Takagui, de Curitiba, esse mix de cereais, sementes e colágeno sacia, estimula o metabolismo e acaba com o intestino preguiçoso. Resultado: disposição, pele lisa e gordurinhas a menos. O ideal é consumi-lo no café da manhã (duas colheres de sopa) – na fruta, no suco, iogurte, leite desnatado ou de soja. Se quiser acelerar o processo na balança, use-o para substituir o jantar. “À noite, a ração pode ser acrescentada numa sopa leve”, orienta Lica. A receita original é produzida há quatro anos pela Takinutri – empresa detentora do nome Ração Humana (40 reais o pote de 500 gramas). Mas outras marcas já lançaram suas versões. E, se quiser, você pode fazer a ração caseira sugerida pela própria Lica. É só triturar e guardar na geladeira, num vidro bem fechado.

Faça a sua Ração Humana

Ingredientes

• 1 xíc. (chá) de semente de linhaça
• 1/2 xíc. (chá) de farelo de aveia
• 1 xíc. (chá) de extrato de soja (sem açúcar)
• 1 xíc. (chá) de quinua em fl ocos
• 2 xíc. (chá) de fi bra de trigo
• 1/2 xíc. (chá) de gergelim
• 4 col. (sopa) de farinha de maracujá
• 4 envelopes (56 g) de gelatina incolor e sem sabor
• 2 col. (sopa) de levedo de cerveja

Rende: 50 porções (2 colheres cada uma)
Calorias por porção: 80

É hoje!


Tâmara_Andromulhernua


Meus parabens pelo seu dia 08 de março
ALMA DE MULHER

Nada mais contraditório do que ser mulher...
Mulher que pensa com o coração
Age pela emoção e vence pelo amor.
Que vive milhões de emoções num só dia
e transmite cada uma delas, num único olhar.
Que cobra de si a perfeição
e vive arrumando desculpas
para os erros daqueles a quem ama.
Que hospeda no ventre outras almas,
dá a luz e depois fica cega,
diante da beleza dos filhos que gerou.
Que dá as asas, ensina a voar
mas não quer ver partir os pássaros,
mesmo sabendo que eles não lhe pertencem.
Que se enfeita toda e perfuma o leito,
ainda que seu amor
nem perceba mais tais detalhes.
Que como uma feiticeira
Transforma em luz e sorriso
as dores que sente na alma,
só pra ninguém notar.
E ainda tem que se forte,
pra dar os ombros
para quem neles precise chorar.
Feliz do homem que por um dia
Souber entender a Alma da Mulher!

Parabéns a essas mulheres guerreiras, mães
companheiras, amigas, cúmplices,
batalhadoras, inteligentes e sensíveis.



Fonte: recebido por msn, ontem às 22:14

domingo, 7 de março de 2010

Madrinha do meu blog

Boa noite!



Hoje é aniversário da madrinha do meu blog, a Elisa.
Nos vemos, nos conhecemos, nos aproximamos e nos distanciamos assim, tudo em 6 meses.
Esse foi o 'nosso' tempo. Tempo em que eu pude admirar alguém como profissional e como ser humano.
Toda aula, invariavelmente, ela tinha uma estória para contar e quando não tinha, ela abria a bolsa e colocava tooo-dos os cosméticos na mesa, dividindo conosco sua vaidade e beleza.
Acho, que nem todo mundo aprovava sua espontaneidade, mas eu a-do-ra-va.
Primeiro porque ela é gente como toda gente, segundo porque ela é mulher como toda mulher deve se comportar e terceiro, porque eu tinha a certeza que ela tinha muuuitas amigas para contar as suas coisas, mas era ali com a gente, que naquele instante, ela quis compartilhar.

Foram para as mais recentes formandas em Secretariado que ela deu aula, foram para elas, que ela levava seus ótimos textos. Foram para nós, que ela contou sobre as suas filhas gêmeas (e todas descemos para vê-las na Cantina) e foi para nós que ela contou sobre 'uma crise que tinha chegado lá na casa dela não muito bonita' e deu sua aula como se aquele comentário tivesse passado como um sopro de desabafo que veio-e-foi no mesmo segundo da última letra pronunciada.
Eu claro, não me contive. Tive que perguntar depois da aula, porque ela tinha feito falado aquilo.
E ela me contou.
Foi ela que olhou nos meus olhos e me contou.
Como esquecer?
Como não lembrar que ela não foi só a minha professora?
Como não reconhecer que ela confiou em mim a ponto de não se esquecer desse comentário e assim que as coisas deram um up, ela veio com a notícia tooo-da risonha (sabe esse sorriso da foto aí, pois é, foi esse que ela me deu).
Não tem como, não é mesmo?

Por tudo isso Elisa, gostaria de nesse dia, no meu espaço, te dar PARABÉNS pelo dia. Que esse ano lhe seja muito próspero.
Que Deus dê saúde a todos da sua família e à você, para que possa estar sempre aí, no seu blog, triste, alegre, feliz, emocionada, esfuziante, leve.

Todos os dias.

Um beiju MUUUUITO grande.

Muah!

Porque rir, é MUITO BOM.

Bom dia!

Recebi por e-mail esse vídeo, de uma amiga muito querida de Uberaba, a Val, e eu gostaria de compartilhar meus momentos de risada absoluta.

Essa dupla conhecida como Os Fulanos são artistas exclusivos da Tv Globo e começaram a carreira quando foram chamados pela produção do Faustão, para contarem piada naquele quadro "Quem Chega Lá"

video.

Bom domingo de risadas.

Muah!

sábado, 6 de março de 2010

Leões e Cordeiros

Título original: Lions for Lambs

video

Acabei de assistir e recomendo.

Leões e Cordeiros mostra uma representação arrebatadora de várias pessoas envolvidas em diferentes exterioridades da guerra no Afeganistão: um político (Tom Cruise) que ambiciona vender sua mais nova "estratégia completa" à jornalista de um noticiário de TV (Meryl Streep); um professor idealista (Robert Redford) que tenta persuadir um de seus alunos mais promissores (Andrew Garfield) a mudar a direção da sua vida; e dois jovens rapazes (Derek Luke e Michael Peña) em combate nas montanhas acavaladas de neve do Afeganistão, cuja aspiração de dar sentido à vida fez com que se alistassem ao exército americano.

91min*drama*12 anos

sexta-feira, 5 de março de 2010

Honestidade infantil

O autor e conferencista Leo Buscaglia certa ocasião falou de um concurso em que tinha sido convidado como jurado. O objetivo era escolher a criança mais cuidadosa. Eis alguns dos vencedores:

Um garoto de 4 anos tinha um vizinho idoso ao lado, cuja esposa havia falecido recentemente.
Ao vê-lo chorar, o menino foi para o quintal dele, e simplesmente sentou-se em seu colo.
Quando a mãe perguntou a ele o que havia dito ao velhinho, ele respondeu:
- Nada. Só o ajudei a chorar.
-----------------------------------------------------------------------------------------
Os alunos da professora de primeira série Debbie Moon estavam examinando uma foto de família. Uma das crianças da foto tinha os cabelos de cor bem diferente dos demais. Alguém logo sugeriu que essa criança tivesse sido adotada. Uma menina falou:
- Sei tudo sobre adoção, porque eu fui adotada.
Outro aluno perguntou:
- O que significa "ser adotado"?
- Significa - disse a menina - que você cresceu no coração de sua mãe, e não na barriga!
-----------------------------------------------------------------------------------------
Sempre que estou decepcionado com meu lugar na vida, eu paro e penso no pequeno Jamie Scott. Jamie estava disputando um papel na peça da escola. Sua mãe me disse que tinha procurado preparar seu coração, mas ela temia que ele não fosse escolhido. No dia em que os papéis foram escolhidos, eu fui com ela para buscá-lo na escola. Jamie correu para a mãe, com os olhos brilhando de orgulho e emoção:
- Adivinha o que, mãe!
E disse aquelas palavras que continuariam a ser uma lição para mim:
- Eu fui escolhido para bater palmas e espalhar a alegria!
-----------------------------------------------------------------------------------------
Conta uma testemunha ocular de Nova York:
Num frio dia de Dezembro, alguns anos atrás, um rapazinho de cerca de 10 anos, descalço, estava em pé em frente a uma loja de sapatos, olhando a vitrine e tremendo de frio.
Uma senhora se aproximou do rapaz e disse:
- Você está com pensamento tão profundo, olhando essa vitrine!
- Eu estava pedindo a Deus para me dar um par de sapatos - respondeu o garoto...
A senhora tomou-o pela mão, entrou na loja e pediu ao atendente para dar meia duzia de pares de meias para o menino. Ela também perguntou se poderia conseguir-lhe uma bacia com água e uma toalha. O balconista rapidamente atendeu-a e ela levou o garoto para a parte detrás da loja e, tirando as luvas, se ajoelhou e lavou seus pés pequenos e secou-os com a toalha. Nesse meio tempo, o empregado havia trazido as meias. Calçando-as nos pés do garoto, ela também comprou-lhe um par de sapatos. Ela amarrou os outros pares de meias e entregou-lhe. Deu um tapinha carinhoso em sua cabeça e disse:
- Sem dúvida, vai ser mais confortável agora.
Como ela logo se virou para ir, o garoto segurou-lhe a mão, olhou seu rosto diretamente, com légrimas nos olhos e perguntou:
- Você é a mulher de Deus?


Lindo, não?!

Muah!


Fonte: recebido por e-mail.

quinta-feira, 4 de março de 2010

Colete - moda 2010

colete1

colete2

Um charme usar colete não acha?

Mal começou a baixar a temperatura e eu já tirei minhas botas do guarda-roupa.
Não aquelas de bico fino, salto altíssimo, mas as modelos texanas.
Com coletes devem ficar show de bola.
E com vestido? [Que ainda estou criando coragem para usar?]
Olha que charme!

bota texana


Muah.

quarta-feira, 3 de março de 2010

Será que [todas] as pessoas merecem uma 2ª chance?


Jon Venables


VAMOS REFLETIR?

"Jon Venables, um dos dois "meninos assassinos de Liverpool", que ficou conhecido em 1993, quando tinha 10 anos, pela morte de um bebê de dois anos, retornou à prisão na terça-feira, aos 27 anos.

Depois de ter sido condenado a prisão perpétua, ele foi colocado em liberdade condicional em 2001, sob nova identidade, mas não respeitou os termos da decisão, segundo o ministério da Justiça britânico.

Em fevereiro de 1993, Jon Venables e Robert Thompson, ambos com 10 anos, retiraram o menino James Bulger, de dois anos, de um shopping de Liverpool, torturaram e agrediram de maneira selvagem a criança, com tijolos e barras de ferro, antes de abandoná-lo em uma ferrovia para que a passagem de um trem dissimulasse o crime.

O assassinato e a idade dos criminosos chocaram a Grã-Bretanha e o mundo. As imagens de uma câmera de segurança, que mostravam os dois de mãos dadas com o pequeno James Bulger, rodaram o mundo.

Os dois foram condenados a prisão perpétua, além da restrição de atividades. Mas em 2001, a justiça concedeu a ambos o "anonimato por vida", sob uma nova identidade".



Fonte: Com 27 anos "menino assassino de Liverpool" volta a prisão. Disponível em: http://noticias.terra.com.br/mundo/noticias/0,,OI4298515-EI8142,00-Com+anos+menino+assassino+de+Liverpool+volta+a+prisao.html. Acesso em 03 de març 2010.

terça-feira, 2 de março de 2010

Pais que aprendem com seus filhos

Olá!

Passei a minha vida toda aprendendo as coisas da vida com meus pais.
Aprendia porque eles falavam e repetiam.
Aprendia porque mamãe batia se desobedecesse.
Aprendia porque, nas palavras do papai (que deve ter me batidos uma duas vezes só), sempre dizia: "sigam o meu exemplo".

E têm sido desde então.
Não. Admito. Não fui exatamente assim, porque seeempre fui levada e brava e briguenta.

Mas, quando eles me falavam alguma coisa, do tipo, "ouve a mamãe e você não vai se arrepender", me lembro de poucas ou talvez nenhuma vez que efetivamente, deu errado.
E então me lembro também de reconhecer - mesmo que no íntimo - que foi bom ter ouvido.

Me lembro do papai, nos ensinando a nadar.
- Bate o braços!
- As pernas também!
- Tudo junto!!!!
- Ai meu Deus, é melhor eu ir buscar, porque já beberam muita água né Lu?!.

Rafael e eu vibrávamos. Aprendemos os dois a nadar.

Hoje, anos e anos depois, estou tendo a minha chance de retribuir tamanha gentileza e paciência e estou ensinando meu pai a usar várias ferramentas do computador.

Date: Mon, 1 Mar 2010 00:56:46 -0300
Subject: Re: Vídeos
From: Papaizinho do meu Coração
To: Nínive Moreira Lage

Filha,

[...]
Queria muito aprender a fazer download de vídeos do youtube. A idéia é capturar um vídeo com paisagens românticas para fazer fundo enquanto canto, criando um clima com a iluminação difusa do vídeo.
[...]

Os sites são:
O dia a dia – Roberto Carlos
Nosso amor – Roberto Carlos
Do fundo do meu coração – Roberto Carlos (legendado)
Do fundo de meu coração – Erasmo (sem legenda)

Vi o seu blog. Está ótimo. Cada vez melhore-o mais.

Um beijão,
Do seu pai
Fernando

E então, eu fiz um passo a passo de como baixar o programa e usá-lo.
Olha como ele retribui:


De: Papaizinho do meu Coração 5302
Data: 1 de março de 2010 22:36
Assunto: Re: Vídeos
Para: Nínive Moreira Lage


Conseguiiiiiii !!!! Baixei primeiro vídeo do youtube no desktop.
iuuuuuupiiiiii !!!

Delícia né? Continuo aprendendo como se deve agradecer...

Muah!